Novo portal R7 – Entrevista com Carla Martins



A grande notícia dessa semana foi o lançamento do portal R7, o portal de notícias da rede Record que tem o objetivo de se tornar o maior do Brasil. Estão sendo investidos 100 milhões de reais em infra-estrutura e 160 jornalistas contratados.

Neste contexto Carla Martins, Arquiteta de Informação Sênior e líder da equipe de Arquitetura de Informação da Rede Record, disponibilizou um pouco do seu tempo para uma entrevista.

1 – Antes de qualquer pergunta, gostaria que você explicasse aos leitores, resumidamente, qual foi o seu trabalho dentro do portal R7?

Aceitei o desafio de vir para a Rede Record depois de algumas conversas com o diretor responsável pelo projeto e de analisar bastante a vontade da emissora em realizar um trabalho de qualidade na internet e a importância dada para a Arquitetura de Informação no projeto. Fui a primeira profissional de desenvolvimento a ser contratada para o R7. A equipe de AI veio para fazer parte da concepção de tudo, da estratégia, e isso é uma evolução e tanto quando falamos de Brasil. Cheguei no começo de junho e o site tinha que ser lançado dia 27 de setembro, por conta do aniversário de 56 anos da emissora. A data não poderia ser negociada e o prazo era bem curto.

Ao chegar, o Diretor de Jornalismo já tinha preparado, com seu board, um documento enorme, com mais de 150 slides, cheio de referências, principalmente de sites internacionais, com seus pontos fortes e fracos. A partir daí, estudei o documento e passei a realizar reuniões diárias com eles, objetivando chegarmos a um escopo para a primeira fase do projeto, que deveria ser desenvolvido em tempo recorde.

logo

Em paralelo a isso, fui elaborando um mapa do site e um fluxograma. Após tudo decidido e o sitemap inicial aprovado, passamos para a concorrência com as empresas terceiras, da qual sairia a escolhida para realizar os testes de usabilidade. Nesse meio tempo, contratei as duas primeiras AI da equipe, que ainda vai crescer bastante. Decidimos qual seria o fornecedor, realizamos Card Sorting com 32 usuários e, com os resultados, alteramos o sitemap para a sua versão final, reduzindo as cinco grandes áreas do portal para quatro, bem como reagrupando algumas seções e mudando outras de lugar. A partir daí, partimos para a elaboração dos wireframes, que era apresentado e aprovado por pacotes. Paralelamente a isso, participava de reuniões frequentes para a escolha do fornecedor do CMS, que teria que customizar a ferramenta para as nossas necessidades.

Acessibilidade e SEO também foram pontos bastante priorizados. Depois vieram os testes de Análise de Tarefas, que fizemos internamente mesmo, por conta do prazo, que corria. Fora isso, o background dos jornalistas e a experiência com a audiência que eles trouxeram foi de grande ajuda!

2 – Houve intensa propaganda em cima do portal R7 e as expectativas foram elevadas ao alto. Após o lançamento pode se perceber que o design da pagina e a disposição dos elementos são muito parecidos com o principal concorrente o G1, porque o motivo dessas semelhanças? Isto é um padrão já adotado para portais?

Para pensarmos o portal, levamos em consideração que o site precisava ser fácil de navegar, rápido para carregar, fácil de ser encontrado pelos mecanismos de busca, rápido, intuitivo e, do ponto de vista da redação, com níveis de customização e liberdade aceitáveis.

Além disso, precisava orientar a todo momento onde o usuário está (porque o portal é grande, mas será muito maior) e ter muito espaço para apelo visual, pois um dos objetivos é falar de maneira especial com a camada mais popular da sociedade, em termos de linguagem, ferramentas e tal. Muitos infográficos, sobre assuntos do dia-a-dia, muita foto, glossários, agendas e páginas especiais de serviços são alguns exemplos.

O site ainda terá outras fases de implementação e possui, em seu guarda-chuva, muitos outros sites e portais. Por isso, teve que ser desenvolvido de uma maneira a comportar atualizações e constante mudança de manchetes e forma de apresentá-las, outra característica marcante do R7: atualização minuto a minuto (por isso a contratação de tantos jornalistas).

compara

R7 e Globo.com

Não fizemos o portal pensando no que iríamos mudar, simplesmente para dizer que mudamos e que somos “diferentes”. Só um profissional incompetente e inconsequente faria diversos testes de usabilidade, com modelos mais tradicionais e outros totalmente inovadores, avaliasse os resultados, notasse que o modelo tradicional foi muito mais aceito e considerado confortável para os usuários navegarem e optasse pelo “inovador”. Fizemos testes e são eles que devemos seguir, afinal, opiniões não têm embasamento científico. Inovar para ninguém usar não era o caminho e nem o nosso objetivo, vale ressaltar.

Sinceramente, não consigo achar os dois parecidos.

3 – Ficou claro que antes do lançamento faltou uma revisão do portal. Foram encontrados diversos erros, falta de verificação de códigos maliciosos na busca, uma matéria de teste não foi apagada, os blogs estavam sendo exibidos com problemas no layout e no sistema de comentários e principalmente os erros de instabilidade do servidor pelo número de acessos. Qual foi as meditas tomadas perante eles?

erro1

Página de teste não apagada e inserção de códigos XSS

Problemas são absolutamente normais em um lançamento como esse. O bom de tudo isso foi a rapidez com que esses problemas foram sanados.

4 – Tratando de conteúdo a primeira coisa que se pode perceber é a democracia, abordando sobre todas as emissoras. Qual é a estratégia de conteúdo adotada no R7?

Acho que isso é muito óbvio. Jornalismo é contar os fatos, dar notícias. E os Jornalistas são considerados os olhos da população. A partir disso, é fato que não adianta nada dizer que se faz jornalismo contando “alguns” fatos, apenas aqueles que convém. Primeiro que isso é ser prepotente demais, achando que as pessoas só podem ficar sabendo o que os formadores de opinião acham que devem informar. O R7 não fala só de outras emissoras, o R7 fala de absolutamente tudo. Aconteceu, pode ir até lá porque terá alguma coisa sobre o assunto.

Imagem3

5 – A reação do público ao lançamento do portal no twitter foi na sua maioria negativa, sempre o comparando com o G1. Como essas manifestações foram recebidas e monitoradas? A ideia é usar as redes sociais para aperfeiçoar e localizar possíveis falhas no portal?

Recebemos e monitoramos absolutamente todas as mensagens sobre o R7 no twitter, sim. Mas, o que utilizamos para corrigir falhas são nossas pesquisas e testes de usabilidade. Porque as mensagens negativas (que não foram tão maioria assim, porque recebemos MUITAS mensagens positivas) que foram postadas não traziam dicas de melhoras e nem tinham embasamento. Criticar por criticar não ajuda muito, né? Vamos realizar melhorias constantes, com certeza. Mas as críticas foram de um nível muito baixo e nada construtivas, infelizmente.

6 – Trabalhar com grandes portais é sempre um desafio para a usabilidade, ter uma navegação eficaz, uma legibilidade do conteúdo e adequa-lo ao conforto humano não é para qualquer um. Como esses testes procederam? O que foi observado e adaptado?

Um portal desse tamanho precisa ser atualizado via sistema de administração, os itens de menu, no R7, também são dinâmicos, ou seja, podem ser criados ou excluídos, dependendo da permissão do usuário. Esse é apenas um fator que foi determinante, por exemplo, para termos decidido planejar um menu vertical. Um site como esse não deve ser pensado apenas para ficar bonito e ser fácil de navegar para os usuários, ele deve, também, ser “atualizável” de maneira satisfatória e eficiente. E disso dependem muitas decisões tomadas na fase de AI.

Sobre testes, fizemos Card Sorting, Análise de Tarefas e, agora, estamos iniciando outra rodada de Análise de Tarefas. O próximo passo será estudo de Eye Tracking. Além disso, analisaremos e estudaremos constantemente as métricas do site.

1423599488_62e49ead92

Técnica de Card Sorting
7 – O portal R7 não está preparado para os mecanismos de busca de forma eficaz, analisando sua estrutura há muitos pontos falhos. Qual serão as atitudes tomadas nessa área daqui para frente?

A busca desenhada na AI continha muitos filtros e era bem completa. Porém, não houve tempo hábil para implementá-la. Já estamos tocando isso.

9 – A arquitetura de informação é de suma importância para a construção de um bom site, o que você destacaria do portal R7 neste quesito?

O legal do R7 é que a AI preocupou-se em desenhar e oferecer vários modelos de conteúdo, opções de páginas internas, funcionalidades customizáveis, nível de interação bom para essa primeira fase e muita organização. Em breve, vou postar com imagens e detalhes alguns desses itens lá no meu blog (www.carlamartins.com). Mas, para avaliar a Arquitetura de Informação do site, é só navegar e ver se você está encontrando o que procura, se localizando fácil no portal e não se frustrando durante a experiência.

10 – Após o lançamento do portal quais serão os próximos passos para você e sua equipe?

Não posso dar muitos detalhes sobre isso. O que posso adiantar é que estamos estudando e elaborando a AI de alguns sites especiais e que, brevemente, todos os sites de programas serão refeitos. O trabalho está só começando, a equipe vai ter que aumentar muito e, até agora, estou muito realizada e satisfeita de ter topado o desafio e, principalmente, de saber que minha equipe também está feliz da vida.

3882598822_69a770c17f

Equipe de Desenvolvimento da Rede Record
11 – Bom, quero agradecer a oportunidade da entrevista, espero que tenha gostado! Se desejar dar um ultimo recado aos nossos leitores, fique a vontade!

Gostaria de agradecer a oportunidade e o espaço, dizer que seu blog é muito legal e expressar aqui a minha gratidão e o meu orgulho em ter a Karin Althuon e a Renata Azevedo na minha equipe. Trabalhamos duro, ficamos 100% envolvidas no projeto e eu adorei toda a experiência. Ela só deu mais vontade na gente de fazer a equipe crescer cada vez mais e de realizarmos muitos outros projetos bons no R7! O pessoal que gerenciou o projeto, os diretores de arte e as meninas de produção também merecem o meu PARABÉNS (com letras maiúsculas mesmo, porque o pessoal é nota 10!). Valeu!

Bem pessoal ficamos por aqui, a entrevista ficou um pouco longa mas espero que tenham gostado. Aguardo o comentário de vocês sobre o R7 e seu desenvolvimento!


Gostou deste post?